Falta de fiscalização em SP faz atacadistas deixarem o estado,reduzindo a arrecadação.

20/05/2013 01:14

www.sindifiscomg.com.br/clipping.2009/fsp.24.05.09.dinheiro.html

 

 

ATACADISTAS
DE SP RECLAMAM QUE...
 
Varejistas não recolhem para SP a diferença de alíquotas de ICMS (em São Paulo é de l8% e entre Estados, de 12%) ao comprarem de outros Estados
 
Comerciantes não recolhem o ICMS correspondente a substituição tributária (valores que estão obrigados a recolher na entrada da mercadorias no território paulista)
 
Falta fiscalização nas fronteiras paulistas para autuar a entrada de mercadorias compradas fora do Estado sem o devido pagamento de ICMS
 
O setor atacadista perdeu, em média, 40% a 50% de sua receita com essa situação
 
Vários estabelecimentos paulistas estão mudando para outros Estados
 
Fonte: Adasp (Associação de Distribuidores e Atacadistas de Produtos Industrializados do Estado de São Paulo) ,]
 
 
"Se os fiscais da Fazenda paulista estivessem nas estradas que ligam São Paulo a outros Estados, essa situação não estaria ocorrendo, pois os lojistas daqui teriam de recolher a diferença das alíquotas mais a substituição tributária, o que equalizaria a carga fiscal dessa operação interestadual com a que está submetido o fornecedor paulista. Sou defensor da substituição tributária, desde que haja fiscalização", diz Sandoval de Araujo, presidente da Adasp (Associação de Distribuidores e Atacadistas de Produtos Industrializados do Estado de São Paulo). Pelos cálculos da Adasp, o Estado de São Paulo está perdendo entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão em ICMS por mês por conta da falta de fiscalização nas estradas.
 
Antes da adoção do regime de substituição tributária, segundo Araujo, o faturamento dos atacadistas paulistas beirava R$ 45 bilhões por ano (preços de varejo). Esse número deve ficar entre R$ 20 bilhões e R$ 25 bilhões neste ano, "se houver fiscalização nas estradas", segundo cálculos de Araujo.
 
Obs: GRIFOS NOSSOS

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!